« Voltar

11 respostas a Nuremberg – Ponto Quatro da acusação

  1. Humberto disse:

    Vejo todas as ações e declarações contra qualquer questionamento que se faça à grande mentira do século, com seus requintes de falsificações e até um julgamento-espetáculo – como bem diz o texto acima: um “Desfile da Vitória” – como simples, lentas e pacientes ações de guerra, até os dias de hoje. Não é atôa que nenhum tratado de paz foi assinado, de uma forma ou de outra, ainda estamos em guerra! As ações de Nuremberg foram feitas para que seus efeitos durem, como uma detetização que não só acaba com os seus “insetos”, mas feita para prevenir que voltem.

  2. Unsterbliche Seele disse:

    Juridicamente falando o tribunal de Nuremberg é uma aberração, pelo simples fato de tratar-se de um tribunal de exceção, o que é expressamente inadmissível para qualquer pais “desenvolvido” ou “democrático” como gostam de afirmar os nematoides do sião. Da mesma forma, não houve garantia ao exercício da ampla defesa nem do contraditório em que pese estarem os acusados presos sem advogado constituído para proceder a coleta de provas a seu favor. Pior ainda, é que se tratou da aplicação do direito penal do inimigo, onde os réus foram acusados pelo que eram (nacionais socialistas) e não pelo que supostamente fizeram. De outro norte, a produção de provas foi totalmente unilateral, desprovida do crivo da legalidade, o que sem dúvida eivou com a mácula da imprestabilidade tudo o que foi apresentado. Somado a tudo isso, quem acusou, processou, julgou e condenou foram as próprias “vítimas” (aliados e judeus), o que alça ares de ridículo. Mas a maior aberração (no meu ponto de vista), é que os comparsas (aliados) quedaram-se inertes e agiram de modo burro e insensível ao direito do povo alemão de julgar seus líderes. Houve uma completa e ardil fraude contra os únicos legitimados para entender pelo que a Alemanha lutou, ou seja, A RAÇA ALEMÃ. Abraço camaradas.

  3. Preocupado disse:

    o detalhes da refeição servida aos alemães diz muita coisa e já denota o tratamento desumano dado à eles.
    até no Brasil, um prisioneiro estuprador, assassino, etc. e tal, tem uma mesa e uma refeição mais decente…

  4. luiz afonso disse:

    O Linxamento de Nueremberg permanece com uma das maiores farsas jurídicas da história do mundo.

    1- Os vencidos foram julgados pelos vencedores. Não houve juiz imparcial

    2- houve predomínio de provas testemunhais as provas técnicas

    3- não foi dado amplo direito de defesa aos acusados. Os advogados foram escolhidos pelos vencedores

    4- Qualquer tipo de testemunha era aceita no tribunal.

    5- as penas foram fixadas depois de cometidos os supostos crimes, o que viola flagrantemente o principio da Nula é pena sem lei anterior que a defina!

    6- Foi um tribunal de exceção montado após a guerra!

    E tantos outros flagrantes de direito básicos de qualquer acusado de um país civilizado que é uma ignorância chamar aquilo de TRIBUNAL!

  5. Gus disse:

    As punições dadas aos mentores do assassinato de milhares, de milhões é lícita….

    Estou falando não apenas dos nazistas, que alguns querem pintar como inocentes, mas aos responsáveis pelos bombardeios em Dresden, ao responsável pela morte por FOME de três milhões de indianos, aos responsáveis por largarem bombas atômicas em cidades (sendo que largando no mar, à vista…certamente causaria a rendição japonesa); aos responsáveis pela falta de disciplina do exército Vermelho em relação aos civis alemães.

    Alguns – no teatro de guerra – foram punidos, mas não à todos….e nem seria possível.

    • EDUARDO-SP disse:

      …..continuando…..aos assassinos que matam crianças na Palestina……

    • Metzengerstein disse:

      “As punições dadas aos mentores do assassinato de milhares, de milhões é lícita….”

      Concordo inteiramente com você. Não é isso que está sendo discutido. Para que a punição seja legitima e lícita, é necessário que se respeitem princípios mínimos de imparcialidade, para citar apenas um exemplo, o julgamento por uma nação neutra. Os aliados julgaram os alemães exceto os próprios crimes, só aí já se vê a hipocrisia… emfim, os problemas com este linchamento, chamado por alguns de julgamento, são tantos que não se pode defendê-lo sem entrar em contradição com os princípios da legitimidade jurídica. Recomendo a leitura dos autores: Maurice Bardéche, Carlos Porter e João das Regras (Autor de “Um Novo Direito Internacional”, apesar do pseudônimo português, o autor não é português). Além destes existem muitos outros autores críticos do linchamento (e não julgamento) de Nuremberg, basta apenas procurar.

  6. Luiz Afonso disse:

    As punições dadas aos mentores do assassinato de milhares, de milhões é lícita….

    RESPOSTA:

    para dar uma resposta como esta o sujeito tem que desconhecer completamente normas de Direito básicos!

    O linchamento de Nuremberg sem medo de errar ou exagero foi um teatro armado pelos vencedores para dar ar de legitimidade e justiça, mas no fundo era um Tribunal de Vingança.

    Melhor seria que tivessem fuzilado os nazistas seria menos vergonhoso.

    O Tribunal de nueremberg violou alguns princípios basilares de Direito de qualquer país civilizado do mundo.

    1- Os juízes eram parciais. Os próprios vencedores julgaram os vencidos. E naquela época haviam juízes de países neutros.
    2- Ampla Defesa. Os advogados dos nazistas foram escolhidos pelos vencedores e as provas não foi dado direito ao contraditório. As provas dos réus eram primeiro filtradas pelos vencedores antes de irem a julgamento.
    3- Era um Tribunal de exceção montado após o conflito e não antes dele como manda as normas de Direito.
    4- Foi ferido gravemente o princípio Nula é a pena sem lei anterior que a defina.
    As penas e os crimes foram definidos depois de terem sido cometidos!
    Isto é uma flagrante violação dos direitos dos réus.

    E mais violações que dá para fazer um livro;

    Portanto chamar aquilo de Julgamento é uma afronta ao Estado Democrático de Direito.

    Somente uma pessoa leiga em Direito pode afirmar que os réus foram punidos de forma lícita!

    • Ralph Benemérito disse:

      Camarada, isso sem contar que um dos juízes soviéticos que atuou em Nuremberg foi exatamente o mesmo juiz que atuou nos processos de Moscow, julgamentos encenados em que Stalin eliminou todos os seus opositores políticos!

  7. Luiz Afonso disse:

    Tudo isto que eu citei acima é motivo para nulidade de qualquer julgamento em um país civilizado e democrático do mundo!

    Ainda existe alguém que diga que o Teatro de Nueremberg foi lícito ou justo?

  8. Amianto disse:

    É de causar perplexidade o fato de ainda chamarem aquela horda de hipócritas, pomposa e ritualesca de “julgamento”. Aquilo foi um bando de “eleitos” manipuladores e militares venais, capachildos do Sião litigando de má fé no mais alto grau. Seu objetivo era fazer como em Hollywood, um pseudo-julgamento padrão “Warner” para todo o mundo ver e a judéia saciar-se com sua sede taliônica de sangue, por ter sido posta a trabalhar duro, por aqueles que, milênios atrás, foram designados a serem seus escravos. Até hoje os alemães e seus aliados, tais como os italianos são colocados de joelhos a pedir perdão pelo seu holocontado massacre étnico em todas as ocasiões solenes colocando ramos de flores em túmulos simbólicos. Justamente o mesmo que, hoje estão praticando em Gaza, ao qual assistem sentados no alto do monte, (em cadeiras de piquenique, bebendo refrigerantes, cerveja e comendo sanduíches) ao massacre promovido pelas sua soldadesca, lançando bombas de fósforo branco. Estão matando l i t e r a l m e n t e uma nação inteira queimados VIVOS! Esse é o verdadeiro holocausto.